Relembre o show de Ibrahimovic no primeiro “El Trafico” da história

No dia 31 de março de 2018, a Major League Soccer viveu um de seus dias mais apoteóticos. Era a temporada de estréia do novo time de Los Angeles, o LAFC, que chegava para dividir o protagonismo da cidade com o tradicionalíssimo LA Galaxy. O dia 31 marcou também a estréia de Zlatan Ibrahimovic pelo Galaxy e, onde Ibrah está, o espetáculo acontece.

Neste sábado (17), as duas equipes se enfrentam pelo MLS is Back as 23h30 (Brasília) em momentos distintos. O Galaxy pode ser praticamente eliminado se perder e o LAFC, favorito, também pode se complicar caso não vença. Um prato cheio para os fãs de um bom futebol. Por isso, decidimos voltar no tempo e relembrar o que aconteceu no primeiro “El Trafico” da história. Você se lembra? Então volte no tempo conosco com um texto escrito por mim, Pedro Breganholi, um dia após aquele grande jogo.

31 de MARÇO de 2018 – Los Angeles Galaxy 4×3 Los Angeles FC

Neste sábado (31), os Estados Unidos, mais precisamente a Califórnia, viveram um dia muito especial no que diz respeito ao futebol. Foi o dia do primeiro clássico, ou dérbi, da cidade de Los Angeles. O Galaxy, membro fundador da MLS e até então único representante da cidade na competição, agora tem um rival pra chamar de seu. O Los Angeles Football Club faz em 2018 seu primeiro ano como clube profissional de futebol e logo em sua terceira partida já recebeu a dura missão de enfrentar seus rivais locais fora de casa.

Missão essa que se tornou mais dura ainda graças a um homem: Zlatan Ibrahimovic. Ibrah, como é mundialmente chamado, aterrissou em LA essa semana vindo do Manchester United. Aos 36 anos, o maior jogador sueco de todos os tempos convive com lesões nos últimos meses e achou por bem mudar de ares para prosseguir com a carreira. Rei do marketing pessoal, zLAtan (forma como seu nome vem sendo escrito pelos torcedores do Galaxy) já roubou a cena nas primeiras entrevistas. O que ninguém imaginava é que ele seria relacionado já pro jogo deste final de semana, justamente no clássico, ou melhor, no “El Tráfico”.

Esse nome, El Tráfico, foi dado pelos próprios torcedores e adotado pela imprensa e não tem nada a ver com crime ou drogas. Na realidade, faz uma alusão ao imenso tráfego de carros de Los Angeles, o que já é quase um “cartão postal” do lugar. A MLS ainda não definiu como chamará o jogo de forma oficial, mas é bem provável que “El Tráfico” permaneça, já que caiu nos gosto popular.

Voltando a falar do jogo em si, o El Tráfico realmente cumpriu todas as expectativas que estavam a sua volta. A partida foi muito disputada, do primeiro ao último minuto e não faltou emoção pra quem resolveu acompanhar o duelo. Grandes jogadas, belíssimos gols e um final que nem os roteiristas de Hollywood poderiam escrever.

Quando a bola rolou, a torcida do Galaxy estourou rolos de papel que tomaram conta de uma das grande áreas do gramado, obrigando o árbitro a interromper o jogo com menos de 20 segundos de bola rolando. Um prefácio de que um grande espetáculo estava pra ocorrer. Com Ibrahimovic relacionado, mas no banco de reservas, outra estrela da MLS tentou roubar a cena. Carlos Vela, mexicano, com passagens pelo futebol inglês e espanhol, é o craque do estreante LAFC. E ele parece ter entendido qual é o seu papel na equipe.  Desde o primeiro minuto chamou a responsabilidade da organização do jogo e brilhou. Distribuiu passes com maestria, deu dribles desconcertantes e marcou dois golaços. O primeiro num lindo chute de fora da área e o segundo deixando o goleiro adversário no chão. O capitão do Galaxy, o inglês (também famoso) Ashley Cole, sofreu para segurar as investidas de Vela e de Diego Rossi, que caíam sempre pelo lado do experiente lateral, que mau viu a cor da bola no primeiro tempo.

Vela tentou roubar o protagonismo de Ibrahimovic. Foi por pouco. (Foto: Reprodução Twitter/LAFC)

Quando o segundo tempo recomeçou, esperava-se uma reação do Galaxy. Mas antes que isso pudesse acontecer, o LAFC ampliou o placar com um gol contra do zagueiro Daniel Steres. Festa do lado preto e dourado da cidade. Após o balde de água fria, Ibrahimovic foi para o aquecimento, mas parecia muito pouco provável que o craque entraria em campo se não houvesse uma reação de sua equipe. No entanto, com 16 minutos da segunda etapa, Lletget recebeu cruzamento de Carrasco e diminuiu. Era tudo que o Galaxy precisava para lançar seu grande Ás.

Dez minutos depois, o camisa #9 foi pro jogo no lugar do próprio Lletget, entrando numa posição diferente da habitual, jogando atrás do centro avante e com total liberdade para se movimentar e abrir espaços. Assustado, o LAFC parou de jogar quando o sueco entrou em campo e sua defesa, que no primeiro tempo quase não permitiu que o Galaxy jogasse, não achou mais ninguém dentro de campo. Tanto que, dois minutos depois da entrada de Ibrah, Pontius fez mais um para o Galaxy e pôs fogo no jogo.

Acuado, o LAFC buscava mas não encontrava uma saída do campo de defesa. Em uma reposição no campo de defesa, após falta próxima a lateral, o goleiro Miller tentou despachar a bola pro campo de ataque mas a defesa do Galaxy cortou de cabeça. Para desespero do goleiro, ainda fora do gol, ela sobrou no pé do estreante da noite. Sem pensar duas vezes, Ibrahimovic acertou um balaço do meio campo, de trivela, e empatou o jogo com um golaço antológico. Tudo o que quem pagou ingresso naquela tarde gostaria de ver. Na comemoração, o craque tirou a camisa e com a marra que lhe é habitual, abriu os braços para a torcida, como quem dizia “me deem as boas vindas. Eu cheguei.”

Quando o LAFC conseguiu finalmente colocar os nervos no lugar e passou a explorar os contra ataques com perigo, o “chope” de Ibrahimovic quase ficou aguado. Ureña e Diego Rossi tiveram a chance de fazer o quarto gol, mas o primeiro acertou a trave e o segundo, da marca do pênalti, bateu pra fora. Dois erros que não seriam perdoados por um jogador que é conhecido por ser impiedoso. Nos acréscimos do jogo, Ashley Cole, aquele mesmo que sofreu no primeiro tempo, recebeu na esquerda e cruzou na cabeça de Ibrahimovic. Experiente, o sueco posicionou o corpo e testou na saída de Miller para, de forma inacreditável, decretar números finais ao jogo. 4-3 de tirar o fôlego.

A chegada de Ibrah à MLS já se mostrou acertada e impactante logo em seus primeiros vinte minutos em campo. É claro que, além da parte dentro de campo, vale salientar o ganho que ele já deu ao marketing do Galaxy e de toda a liga antes mesmo de entrar em campo. Apenas David Beckham conseguiu fazer mais barulho quando chegou à MLS.

Quanto ao derby, a entrada do LAFC na liga se mostrou positiva. A atmosfera no estádio e a empolgação das duas torcidas comprovam isso. A vitória foi fundamental para o Galaxy reagir na temporada e o LAFC com certeza aprendeu muito ao perder um jogo praticamente ganho. No fim do dia, Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos e o mundo todo agradeceram pela oportunidade de vivenciar um espetáculo deste tamanho. Afinal de contas, um jogo de sete gols, com uma virada de 3-0 para 4-3 com o grande jogador da liga estreando e fazendo toda a diferença na partida, não é todo dia que a gente vê por aí.

FICHA TÉCNICA

LA Galaxy – 4
Bingham; Feltscher, Steres, Skjelvik e Cole; Kitchen, Carrasco (Husidic) e Lletget (Ibrahimovic); Pontius (Romney), Boateng e O.Kamara.
TEC: Sigi Schmid

LAFC – 3
Miller; Beitashour, Jakovic, Ciman e Moutinho; Feilhaber (Atuesta), Kaye e Blessing (Blackmon); Vela, Rossi e Ureña.
TEC: Bob Bradley

Gols: Vela 2x e Steres (Contra) (LAFC) e Ibrahimovic 2x, Lletget e Pontius (LAG)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s